terça-feira, 6 de abril de 2010

Extinção




Extinção

A normalidade é um estado questionado nos meus pensamentos, já que muitas vezes não me sinto igual aos outros.
Durmo com a solidão e acordo com a esperança de ser normal.
Encontro pessoas que se parecem comigo, mas num piscar de olhos evaporam-se, ou nem mesmo existem, somente nos meus devaneios.
Concluo que estou em extinção!
Sigo as coordenadas do meu coração, que no momento está aberto à propostas. Não falo em amor ou algo parecido, me refiro a compreensão mútua com o mundo.
Me afasto do correto, do eterno, do modismo.
Enquanto a memória me leva a infância: brincava com meus amigos imaginários e corria no universo paralelo do meu quintal.
Prefiro compor do que ser da artilharia de frente.
A estratégia é ser assim e não assado.
E “eu juro que é melhor não ser um normal”, mesmo cevando o amargo.












http://www.youtube.com/watch?v=3SN9PLfa_p4

4 comentários:

  1. Sem comentários. MARAVILHOSO.

    ResponderExcluir
  2. Douglas, muito legal. Também eu me sinto um pouco fora de compasso muitas vezes...

    Beijo
    Biba

    ResponderExcluir
  3. Realmente um texto muito inteligente!!

    Continue assim Douglas.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Como diz Caetano, "de perto, ninguém é normal".
    Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir